NOTÍCIAS - RECEITA QUER ENDURECER FISCALIZAÇÃO SOBRE COMPRAS EM SITES ESTRANGEIROS - 17/07/2014

Número de compras internacionais aumentou por causa do preço vantajoso. Governo quer criar novo mecanismo para rastrear e checar as encomendas.

Atraídos pelos preços baixos, os brasileiros estão comprando cada vez mais em sites estrangeiros. A Receita Federal promete endurecer a fiscalização.

O massageador veio da China, os cremes embarcaram lá em Portugal, e a armação dos óculos de grau, nos Estados Unidos. Faz quatro anos que a Fernanda começou com a mania de comprar em sites estrangeiros e não parou mais.

E, em todo esse tempo, ela só foi taxada quatro vezes pela Receita Federal. Isso acontece porque a Receita ainda não consegue analisar todos os volumes que desembarcam no Brasil para saber se há compras feitas no exterior.

As compras feitas em sites estrangeiros chegam, na maioria das vezes, direto no endereço indicado pelo cliente, quase sempre em casa.

Só quando a Receita Federal verifica que é uma importação, a encomenda é retida e o comprador recebe uma correspondência avisando o quanto vai ter que pagar de imposto para poder retirar.

De forma geral, a taxação é de 60% sobre o valor do produto mais o frete. E tem muita gente comprando.

Só neste ano, até agora, a quantidade de pessoas encomendando produtos de sites estrangeiros cresceu 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

De 2012 pra 2013, o aumento foi de 45%. Por isso, o governo quer mudar a forma de checar as encomendas do exterior para não passar batido nessas compras.

“Está em desenvolvimento um sistema que vai nos permitir fazer a identificação de todas as encomendas previamente. Isso vai possibilitar maior agilidade, vai possibilitar à pessoa que está comprando a rastreabilidade do seu bem que está adquirindo, e vai possibilitar também ao país, ao estado brasileiro, uma tributação no maior número de encomendas”, informa José Carlos de Araújo, coordenador geral de administração aduaneira da Receita Federal.

A previsão é que a nova fiscalização comece ainda este ano. E é bom lembrar: qualquer produto de qualquer valor pode pagar imposto. Só será isento se for enviado do exterior por pessoa física no valor máximo de 50 dólares.

A editora de imagem Rebeca Kriemann nem está preocupada se tiver que pagar imposto de todas as comprinhas que faz pelo site chinês. “Vale a pena. É um custo que você acaba gastando um pouco mais por causa do imposto, mas fica mais barato do que se comprasse o produto no Brasil”, ela diz.

Fonte: Site Jornal da Globo

CADASTRE-SE

Cadastre-se em nossa base de dados e em breve receba nossa novidades por e-mail.

CLIENTE TOP CONSULTING TEM ACESSO A OPORTUNIDADES EXCLUSIVAS DE INVESTIMENTOS
SIGA-NOS NO TWITTER
ACESSE NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK
TopConsulting
Escritório BH: (31) 3047-3010 Escritório SP: (11) 3589-1296